Ajude-Nos Divulgar

Marca Social Tocada Por Refugiados Estreou em SP – De Que Forma

Uma marca social africana tocada por refugiados estreou venda em SP e promete fazer sucesso tanto quanto a marcas famosas. Confira em nosso blog de que forma está ocorrendo e como ajudar mesmo que de forma indireta.

IMG-1781

Existem diversas lojas em praticamente todo o mundo que teve seu crescimento aos poucos e para isso contou com a ajuda de famosos, que acabaram divulgando ou até mesmo tendo as idéias de como poderiam ser feitas. Já outras começaram de forma humilde, talvez na garagem ou sótão de algumas casas antigamente, que não incluíam apenas vestimenta, mas também alimentação e começou a venda com os vizinhos e a outras cidades e hoje faz parte do mundo todo.

Porém, este meio de trabalho tem sido de auxílio de outras maneiras e o modo como teve o principio é digno de elogios. Um exemplo que vamos trazer a atenção é que são criadas por refugiados que estamos vendo nos canais de comunicação o quanto estão sofrendo em seus países e por isso tem fugido para ter uma vida melhor não apenas para si, mas toda a família. Pensando nisso, uma marca social africana que é tocada por alguns deles estreou em SP, saiba mais informações abaixo de que forma ocorreu e que está sendo de grande ajuda para todos eles.

De Que Forma a Marca Social Estreou em SP

Há alguns meses teve a estréia de roupas e itens de decoração da L’Afrikana, onde tecidos africanos são produzidos no Quênia pelos refugiados do Burundi, Ruanda e Congo, que estão sendo vendidos na capital na loja lojaaovivo.tv. O trabalho é dividido em duas frentes, primeiramente a ONG oferece gratuitamente cursos de costura, atendimento psicológico e alimentação para lidar com os traumas que tenham vividos. No segundo aspecto, o negócio social compra as peças produzidas, comercializa e reinveste tudo que é arrecadado. Quando se finaliza um ano de curso, passam a serem contratados como costureiros ou professores, a regra é que tenha 60% de mulheres como menciona a organizadora brasileira Renatha Flores e os outros.

Além disso, para os próximos meses pretendem fortalecer a renda, por contratar mais pessoas que vivem na miséria e que tem grande potencial de crescimento, para que sintam em especial vontade viver. Um aspecto muito interessante é que esses refugiados já passaram pela mesma situação e por isso sabem o quão importante é dar novas oportunidades a eles. Assista no vídeo abaixo o que os sócios mencionam e um pouco da história dos africanos que agora estão empregados.

A palavra de um deles é para se refletir quando diz que negócio social para a L’Afrikana não é só produzir e vender os produtos em prol dos refugiados. É os refugiados fazerem todos os artigos, venderem as peças, gerar renda e tornar isso real. Quanto mais venderem, mais vão poder dar atendimento psicológico a refugiados até mesmo nos campos, para pessoas que por alguma razão não são suas alunas.

O que achou deste lançamento tão importante? Deixe seu comentário. Agradecemos a visita e até a próxima!

Autora: Amélia

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.